“Hiroshima e Holocausto Nunca Mais” realiza debate na internet entre sobreviventes do ataque nuclear e do Nazismo

Via Revista Intertelas

Nesta quinta-feita, 14 de maio, às 20h, o Sobreviventes Pela Paz fará um bate-papo ao vivo, pelo seu canal no YouTube entre dois sobreviventes da Segunda Guerra Mundial. São eles: Kunihiko Bonkohara, que testemunhou o ataque nuclear perpetuado pelos Estado Unidos, em 1945, em Hiroshima, no Japão; e Andor Stern, único brasileiro nato que sobreviveu ao Holocausto e presenciou os horrores dos campos de concentração de Auschwitz – Birkenau, construídos pela Alemanha nazista. O evento contará com a mediação do historiador e professor Gabriel Pierin e terá apresentação de Rogério Nagai, idealizador do projeto, que hoje leva o nome de “Hiroshima e Holocausto Nunca Mais”.

Crédito: Facebook Sobreviventes pela Paz.

O projeto Sobreviventes Pela Paz deu origem a peça documental Os Três Sobreviventes de Hiroshima, que traz ao público histórias e depoimentos de três cidadãos japoneses, que estavam na cidade durante o lançamento da bomba nuclear. Fazendo uso de técnicas do teatro documentário, ou teatro de não-ficção, o evento utiliza-se de documentos, fatos e memórias como fontes primárias para a sua elaboração.

Tal forma teatral surgiu na Alemanha, em 1925, com o dramaturgo Erwin Piscator, após a sua participação na Primeira Guerra Mundial. Assim, três sobreviventes da bomba atômica narram suas experiências e memórias. Neste ano, a iniciativa foi reformulada e vai promover a interação entre os sobreviventes de Hiroshima e um do Holocausto, que ao contarem suas histórias, buscam provocar uma reflexão no público, no intuito de propagar uma conscientização política em favor da paz.

Espetáculo com sobreviventes da bomba atômica de Hiroshima tem live em tempos de covid-19

Via Revista Intertelas

O espetáculo “Os três sobreviventes de Hiroshima” terá uma live no dia 21 de abril (terça) às 20h diretamente do Canal YouTube do projeto. Na live, três sobreviventes reais do primeiro ataque nuclear da história fazem seus depoimentos de uma das piores tragédias da humanidade. São contados os momentos da explosão nuclear na cidade de Hiroshima, no Japão, em 1945, os dias seguintes e a imigração para o Brasil.

“Os Três Sobreviventes de Hiroshima” reconstrói a história do militar Takashi Morita na época com 21 anos e dos civis Kunihiko Bonkohara com 5 anos e Junko Watanabe com 2 anos, que estavam em Hiroshima no dia do bombardeio. Em cena, eles atuam no formato de teatro documental, também conhecido como biodrama. Fotos originais, vídeos e canções da época executadas pelos sobreviventes compõem o clima da apresentação.

Da esquerda para a direita: Junko Watanabe, Takashi Morita e Kunihiko Bonkohara. Crédito: Bianca Brito.

Com roteiro e direção de Rogério Nagai, o espetáculo deu origem ao projeto Sobreviventes Pela Paz. A ideia surgiu em 2012 com pesquisas sobre histórias pouco conhecidas da comunidade nipo-brasileira e a imigração japonesa no Brasil. Foram 12 meses de pesquisa e 4 meses para montagem do roteiro e ensaios com os sobreviventes.

Da esquerda para a direita: Kunihiko Bonkohara, Junko Watanabe e Rogério Nagai. Crédito: Binômio Comunicação.

Esta será a segunda vez que o espetáculo será exibido via streaming gratuitamente. O espetáculo já se apresentou em cidades como Curitiba, Rio de Janeiro, além de diversas cidades do interior do estado de São Paulo e capital. As sessões lotadas e com muitos espectadores para fora do teatro consagraram o sucesso de “Os Três Sobreviventes de Hiroshima”.

O texto, ainda que trate de uma tragédia, leva uma reflexão sobre a paz por onde passa, com uma mensagem forte de perdão, resiliência e superação. Em tempos como esses de pandemia, incerteza e medo do desconhecido, o espetáculo faz uma ponte ao passado e traz uma reflexão de como o ser humano é capaz de se recuperar e dar a volta por cima mesmo em situações limites.” salienta Nagai.

Os sobreviventes Kunihiko Bonkohara (esq.) e Takashi Morita (dir.). Crédito: Mariana S. Brites / Revista Intertelas.

Hiroshima
Em 6 de agosto de 1945, no estágio final da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos lançaram uma bomba atômica na cidade de Hiroshima. Três dias depois, atingiram também Nagasaki. Foram milhares de mortos e feridos, além de sobreviventes que buscaram retomar suas vidas depois da tragédia. Os números oficiais informam entre 130 e 240 mil mortos como resultado destes que foram os primeiros e únicos ataque nuclear contra civis em toda a história.

No Brasil, há 74 sobreviventes das bombas, todos associados à Associação Hibakusha Brasil pela Paz, anteriormente chamada de Associação das Vítimas da Bomba Atômica no Brasil. Após ajuda médica e reconhecimento dado a essas pessoas, a associação passou a se dedicar também à propagação de mensagens de paz e pelo fim de armas e usinas nucleares. “Os Três Sobreviventes de Hiroshima” é uma das ações apoiadas pela Associação. O espetáculo é realizado pela NAGAI Produções Artísticas e Culturais, já passou por mais de 8 cidades sendo visto por mais de 6.000 pessoas com 24 apresentações.