Programa CEA-Convida vai entrevistar equipe da Revista PRAJNA e conversar sobre o lugar dos estudos asiáticos nos periódicos nacionais

No próximo dia 27/10 (3a-feira), às 19h30, o CEA Convida, na sua primeira edição, vai promover uma conversa sobre o lugar dos estudos asiáticos nos periódicos nacionais, com o editor chefe da Revista PRAJNA – Revista de Culturas Orientais, professor e doutor Richard Gonçalves André e membro da equipe editorial da Prajna e pesquisador do Laboratório de Pesquisa em Culturas Orientais (LAPECO) da Universidade Estadual de Londrina Flávio Oliveira. Nas perguntas, Alessandra Scangarelli Brites, editora chefe da Revista Intertelas e pesquisadora do Grupo de Pesquisa de Mídia e Cultural Asiática Contemporânea da Universidade Federal Fluminense (MidiÁsia-UFF), e Mateus Nascimento, pesquisador do Centro de Estudos Asiáticos-UFF e do MidiÁsia-UFF, conduzem esse papo, que conta com apoio da monitora Clarissa Amorim (CEA-UFF).

Crédito: Facebook CEA-UFF.

MidiÁsia entrevista editora-chefe do site Beco da Índia

No dia 31 de agosto, segunda-feira, o Grupo de Pesquisa em Mídia e Cultura Asiática Contemporânea da Universidade Federal Fluminense (MidiÁsia-UFF) vai realizar, às 18h, live com a editora-chefe do site Beco da Índia, parceiro do grupo, Florência Costa. O tema do evento vai abordar a trajetória do site especializado na divulgação da cultura indiana no Brasil, a importância do país e sua atuação no cenário internacional, a promoção de seu soft power e cultura milenar no mundo e o histórico das relações entre Brasil, Índia e outros parceiros do grupo BRICS.

Para mediar e entrevistar a convidada estarão presentes a jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), especialista em Politíca Internacional pela mesma universidade, mestre em Estudos Estratégicos Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), editora-chefe da Revista Intertelas, também parceiro do MidiÁsia-UFF e pesquisadora do MidiÁsia Alessandra Scangarelli Brites e a doutora e mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (PPGCOM|UFF), jornalista e especialista em Epistemologias do Sul pelo Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO|Argentina), fundadora do Asian Club (Estudos de Mídia|UFF) e coordenadora Adjunta do MidiÁsia-UFF Krystal Urbano. A live ocorre através do Facebook do MidiÁsia e estará aberta ao público em geral.

Crédito: MidiÁsia.

MidiÁsia realiza live com editora do site Koreapost

No dia 24 de agosto, o Grupo de Pesquisa em Mídia e Cultura Asiática Contemporânea da Universidade Federal Fluminense (MidiÁsia-UFF) vai realizar às 20h, live com a editora do Koreapost, parceiro do grupo, Simone Ribas Sparsbrod. O tema do evento vai abordar a trajetória do site especializado na divulgação da cultura sul-coreana no Brasil e o intercâmbio educacional entre Brasil e Coreia do Sul .

Para mediar e entrevistar a convidada estarão presentes a jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), especialista em Politíca Internacional pela mesma universidade, mestre em Estudos Estratégicos Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), editora-chefe da Revista Intertelas, também parceiro do MidiÁsia-UFF, ex-colunista do Koreapost e pesquisadora do MidiÁsia Alessandra Scangarelli Brites e a doutora e mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (PPGCOM|UFF), jornalista e especialista em Epistemologias do Sul pelo Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO|Argentina), fundadora do Asian Club (Estudos de Mídia|UFF) e coordenadora Adjunta do MidiÁsia-UFF Krystal Urbano. A live ocorre através do Facebook do MidiÁsia e estará aberta ao público em geral.

Crédito: MidiÁsia/arquivo pessoal Simone Sparsbrod.

Segunda live do MidiÁsia abordou a crise dos paradigmas ocidentais e o impacto deles na pesquisa acadêmica brasileira

Ontem o MidiÁsia realizou sua segunda live, cujo tema foi “A crise dos paradigmas ocidentais e seus impactos na pesquisa acadêmica”. Participaram do evento os pesquisadores e coordenadores do projeto MidiÁsia Afonso Albuquerque e Krystal Urbano, além do também pesquisador e integrante do grupo de estudos Mateus Nascimento que mediou o debate.

Entre as questões abordadas, a de maior destaque foi a forte presença do eurocentrismo na academia brasileira, principalmente na área de estudos de mídia e da comunicação. Os debatedores enfatizaram a necessidade dos pesquisadores brasileiros de conhecer e estudar outras regiões do mundo e culturas, realizando uma desocidentalização da forma como percebem o mundo. O Manifesto do MidiÁsia foi também bastante destacado pelos participantes. Para assistir à live na integra, acesse o link abaixo.

Live MidiÁsia – 06/07

Tema: A crise dos paradigmas ocidentais e seus impactos na pesquisa acadêmica

Posted by MidiÁsia on Monday, 6 July 2020

O consumo do audiovisual japonês foi o centro de debate em live do MidiÁsia, em parceria com a ANBEHCJA-ICBJ

Ontem, 1 de julho, o Grupo de Estudos MidiÁsia da Universidade Federal Fluminense (UFF), em parceria com a Academia Nipo-Brasileira de Estudos da História e Cultura Japonesa do Instituto Cultural Brasil-Japão (ANBEHCJA-ICBJ) realizou a live “O consumo do audiovisual japonês em tempos de pandemia” pelo Facebook do MidiÁsia. A iniciativa contou com a participação das pesquisadores Krystal Urbano, Mayara Araujo e Mateus Nascimento. A live teve o objetivo de divulgar a área de estudos do pop midiático japonês.

Durante o debate foram analisados os animes Akira, Aggretsuko e Dorohedoro, doramas e o cinema japonês. Em específico sobre Akira, os especialistas enfatizaram o caráter distópico e apocalíptico desta produção e destacaram os contrastes na forma de consumo deste anime no anos 1980 com as atuais, que ocorre via Netflix, fazendo referência à ideia de nostalgia.

Sobre Aggretsuko, os debatedores realizaram um vinculo entre o anime e a identificação com o cotidiano. Sobre os filmes, salientaram a associação do cinema japonês com a ideia de um cinema clássico, em razão dos cineastas deste país terem conquistado espaço no ocidente, em especial: Akira Kurosawa e Yasujiro Ozu. Produções atuais como Linking Love (que trata de uma viagem no tempo para os anos 1990 e traz elementos do pop japonês da época como idols da moda e doramas da época) e Tokyo Monogatari (disponível pra ser visto no youtube até semana que vem) foram também, brevemente, analisados pelos pesquisadores.

Sobre doramas, abordaram o consumo das séries japonesas no Brasil que abriu portas para outros países asiáticos com formatos diferentes como a Coreia, que tem um catálogo mais expressivo em plataformas como o Netflix. Tokyo Love Story, segundo os participantes da live, desenvolveu o gênero trendy drama, já as emulações dos outros países asiáticos saíram desse gênero. Por fim, os reality japoneses também tiveram destaque, em especial os produzidos pela Netflix (Real Love, Ainori e Terrace House) que fornecem ideias mais plurais sobre o Japão enquanto nação, para além de um Japão imaginado. Para assistir a live na integra, acesse o link abaixo.

live O audiovisual japonês em tempos de pandemia

O MidiÁsia, em parceria com a Academia de estudos da História e Cultura japonesa do ICBJ, convida para essa live na quarta-feira, aqui na página do MidiÁsia! Nossas pesquisadoras Mayara Araujo e Krystal Urbano vão conversar um pouquinho sobre o consumo do audiovisual japonês durante a pandemia de COVID-19! 🙂 A mediação será realizada por Mateus Nascimento, também pesquisador da casa!Marquem na agenda e venham participar!!

Posted by MidiÁsia on Wednesday, 1 July 2020