Fundação Japão promove Música no Castelo, série de concertos solos com músicos brasileiros e japoneses

Via Revista Intertelas

Para enaltecer a apresentação de conteúdos sobre a cultura japonesa em tempos de isolamento social, a Fundação Japão lançou em agosto o projeto Música no Castelo. Trata-se de uma série de dez concertos solos, promovidos por músicos do Brasil e do Japão, todos eles gravados em suas próprias casas. As apresentações estarão disponíveis nos dias 15 e 20 de cada mês a partir das 17 horas, no canal do YouTube da Fundação Japão em São Paulo, e poderão ser apreciadas em segurança, também em casa, até dezembro deste ano.

Junto das apresentações, o público poderá acessar, no site da instituição, um descritivo sobre cada programa, com informações sobre o músico, repertório que será apresentado e  instrumentos utilizados, assim como informações detalhadas sobre os instrumentos tradicionais japoneses, permitindo aos apreciadores da programação conhecer um pouco mais sobre a música e a cultura japonesa.

Conforme explicam os organizadores do evento, com a quarentena, o isolamento social fez com que as pessoas tivessem que ficar em casa. “Sob um ponto de vista simbólico, nossas casas transformaram-se em castelos, nossas residências particulares ‘fortificadas’, deixando o grande inimigo do lado de fora, explica o curador e organizador do projeto Música no Castelo. Nesta nova realidade, nasce o projeto ‘Música no Castelo’, no qual músicos e musicistas, dentro de suas casas, tanto se protegem desse inimigo invisível, perigoso e letal, quanto se expressam por meio de sua arte, utilizando a web como veículo de comunicação com o mundo exterior“.

Crédito: Fundação Japão.

Com a curadoria e coordenação de Shen Ribeiro e apoio de Sinos na Floresta, o projeto Música no Castelo tem tema livre, e propõe aos músicos que façam com que a música reverbere através da web. Segundo Ribeiro, na religião original do Japão, o Xintoísmo, o divino está presente nos elementos da natureza, sendo os santuários verdadeiros oásis espirituais, nos quais, até hoje, as principais datas do ano são celebradas.

Já o budismo, entra no Japão em meados do século VII , trazendo não apenas uma nova religião, mas um novo estilo de vida, convivendo pacificamente com o Xintoísmo. “Uma das características do Zen Budismo é a prática diária da meditação e, também, de alguma outra atividade. No Japão, a classe samurai encontrou a prática da espada diária e exaustiva em busca da perfeição. Outras artes seguiram o mesmo caminho, como a ikebana, a cerimônia do chá, as artes marciais, os jardins, trabalhos de artesãos e, por que não, a prática de um instrumento?”, salienta.

Desejamos que este canal de comunicação possa levar para as pessoas uma mensagem de paz e esperança para um mundo que está transformando-se e, com certeza, será melhor quando esta tormenta passar”, enfatiza Ribeiro. “Será um resgate, de forma simbólica, do espírito zen da reclusão e da prática da meditação, com trabalhos solos destes músicos em seus próprios castelos, praticando seus instrumentos”, explica o curador do projeto, e também músico.

Fonte: informações do texto originalmente publicado no site da Fundação Japão.
Link direto: https://fjsp.org.br/agenda/musica-no-castelo/

Fundação Japão promove a segunda edição do festival online de filmes japoneses

Via Japan Foundation São Paulo

Devido à repercussão positiva da primeira edição do Japanese Film Festival Online (JFF Online), a Fundação Japão lançou o 2º volume da iniciativa. Os filmes vão estar disponíveis até 30/9, às 11h59 (horário de Brasília). O acesso é gratuito e sem necessidade de registro. As obras estão em língua japonesa, com legendas em inglês.

O primeiro festival que começou em março contou com 12 filmes que ficaram disponíveis durante aproximadamente três meses. Devido ao isolamento social e restrições para não saírem para as ruas, a procura por conteúdos na internet teve um grande crescimento no mundo todo. E com isso, os filmes tiveram mais de 95.000 visualizações e comentários de vários países.

Crédito: Fundação Japão.

Neste volume 2 do projeto, foram selecionados 10 filmes que mostram a sociedade japonesa de “hoje”. É também uma grande oportunidade para apresentar novos jovens cineastas japoneses no início de carreira e seus trabalhos e uma forma de ampliar a divulgação dos filmes japoneses no exterior.

O público poderá assistir gratuitamente os filmes que podem ser acessados com facilidade tanto em computadores, como em celulares ou tablets. Para mais informações e conferir a programação, acesse a página da Fundação Japão. Já para assistir às produções cinematográficas, acesse o site: https://www.japanesefilmfest.org/streaming_vol2/

Fundação Japão de SP lança biblioteca literária online

Via Fundação Japão

A Fundação Japão apresenta a Biblioteca Literária Online, um projeto com o objetivo de divulgar a literatura japonesa no Brasil, incentivando não apenas a sua leitura, como também o interesse pela tradução de novas obras para o português.  O leitor poderá explorar um pouco mais o prolífico mundo literário nipônico por meio de informações relevantes disponíveis online organizadas em forma de dossiês e mini dossiês focados em uma autoria, sem ater-se em demasia em detalhes biográficos.

Crédito: Fundação Japão.

O primeiro escritor que já tem um levantamento disponível é Natsume Soseki. Para conferir o trabalho, acesse o site da Biblioteca Literária Online – Dossiê Literário.

Banda japonesa Arashi conta histórias com Kamishibai através de seu canal no YouTube

Segundo informado pelo Facebook da Fundação Japão, os membros da conhecida banda japonesa Arashi estão fazendo contação de histórias com kamishibai, literalmente, “teatro de papel”, que é uma forma de narrativa oral que se originou em templos budistas japoneses no século XII, em seu canal no YouTube.

Crédito: Twitter.

Assim, neste período de pandemia, os integrantes do grupo contam o kamishibai de forma remota para entreter as crianças e com isso aliviar os pais para a execução das tarefas diárias, ou ainda reunir a família e se divertirem juntos. As histórias são recheadas de personagens para que os cinco integrantes possam participar.

Os vídeos ficarão disponíveis por um período limitado e desde o final de abril foram postadas 7 histórias, cerca de uma por semana. Todos os vídeos possuem legendas também em língua japonesa, uma ótima oportunidade para os estudantes de japonês aprofundarem seus estudos.

Lista das histórias contadas até agora:

1.) Os 3 porquinhos (Conto de fadas de origem inglesa)
Roteiro: Daiji Kawasaki
Ilustração: Iwao Fukuda (Doshinsha)
https://youtu.be/f-QXKOD-8JA

2.) As aventuras de Son Goku
Obra original: Wu Cheng’en
Roteiro: Daiji Kawasaki
Ilustracao: Shiro Fujimoto (Doshinsha)
https://youtu.be/DfeVXUaVDh8

3.) João e o pé de feijão (Conto de fadas de origem inglesa)
Roteiro: Seishi Horio
Ilustração: Shin Kamiya (Doshinsha)
https://youtu.be/JXnDe7uCwXE

4.) Chapeuzinho vermelho
Obra original: Irmãos Grimm
Roteiro: Jun’ichi Kobayashi
Ilustração: Mitsuo Shinozaki (Doshinsha)
https://youtu.be/laQ6ygFhFws

5.) Pai (Conto do folclore da Sumatra, Indonésia)
Roteiro: Jun’ichi Yoda
Ilustração: Seiichi Tabata (Doshinsha)
https://youtu.be/iI9IZbOfG1E

6.) A batalha do macaco e o caranguejo
Obra original: Hans Cristian Andersen
Roteiro: Seiichi Tabata
Ilustração: Jiro Kimura (Doshinsha)
https://youtu.be/tPUuNLV-EfM

7.) A roupa nova do rei
Obra original: Hans Cristian Andersen
Roteiro: Daiji Kawasaki
Ilustração: Shogo Natsume (Doshinsha)
https://youtu.be/VeJPBnRpbWk

Fundação Japão promove festival de filmes japoneses online

Via Jornal Nippak

Já estão disponíveis online, gratuitamente, 12 filmes independentes criados por jovens diretores japoneses, em um projeto denominado Japanese Film Festival Online (JFF Online). Trata-se de uma iniciativa da Fundação Japão para promover filmes japoneses no exterior, disponibilizada agora, gratuitamente no Brasil. Os filmes podem ser acessados com facilidade tanto em computadores, como em celulares ou tablets.

Cena de “Made in Japan”. Crédito: divulgação/Jornal NIppak.

A iniciativa já existe em outros países desde 2016, denominada JFF Network. Em 2018, os filmes já haviam sido acessados por mais de 18 mil pessoas de países como Filipinas, Malásia, Indonésia, Vietnã, Camboja, Mianmar, Tailândia, Laos, Cingapura, Brunei, Austrália, China, Rússia e Índia.
Em 2019, o projeto passou a se chamar JFF Magazine, e lançou um novo serviço de streaming de filmes japoneses, o JFF Online. Com a colaboração do “MOOSIC LAB”, novos filmes foram disponibilizados online, gratuitamente.

A iniciativa estará disponível inicialmente até o início de junho em todo o mundo, com exceção de alguns países, como o Japão. Os filmes são todos em língua japonesa, com legendas em inglês. Para assistir, basta acessar o site https://www.japanesefilmfest.org/streaming.