ANBEHCJA – ICBJ abre inscrições para palestra sobre “Samurais da Antiguidade ao Medievo”

No dia 30 de julho, das 19h às 21h, será realizada a palestra online “Samurais da antiguidade ao medievo: surgimento, ascensão e transformações no estamento guerreiro japonês”. O evento é organizado pela Academia Nipo Brasileira de Estudos de História & Cultura Japonesa do Instituto Cultural Brasil-Japão, apoiada pelo Grupo de Estudos Japoneses da UFF (GEHJA) e Núcleo de Estudos Japoneses da UFSC (NEJAP).

A palestra será ministrada pelo Coordenador do NEJAP, Kauê Otávio, graduando de história pela UFSC, ex-bolsista do programa “Juntos!! JICE/MOFA 2016” e responsável por ministrar e coordenar diversas palestras, cursos, mini-cursos e colóquios desde 2015. Seu trabalho de conclusão está intitulado em caráter provisório de “A Guerra e os Guerreiros no Século da Grande Pacificação: Uma história Política, Social, e Cultural dos Samurais no Século XIV”.

A iniciativa pretende esboçar sobre o surgimento dos samurais, sua ascensão como veículo militar privado do Estado e da aristocracia japonesa, a formação do primeiro bakufu e o regime diárquico instaurado por Minamoto Yoritomo e continuado pelos Hōjō, as rupturas e o novo bakufu fundados no século XIV, e a nova ordem de relações instaurada entre os séculos XIV e XV, com a ascensão das figuras dos tōzama, e posteriormente, shugo-daimyō. Antiguidade, medievalidade e modernidade serão temas brevemente abordados e esboçados, assim como a trajetória dos samurais nestes primeiros tempos.

Crédito: Facebook Gehja Japão.

As inscrições devem ser realizadas pelo e-mail: academiahistculticbj@gmail.com e devem conter as seguintes informações: nome completo, CPF, instituição de origem, curso, titulação, período e região. Atenção para as seguintes observações dos organizadores:

  • Incluir informação, caso seja membro ou aluno de algum instituto de cultura japonesa, seja de língua, artes marciais etc;
  • Na parte sobre REGIÃO, coloque o estado brasileiro de onde assiste as aulas ou o país, caso esteja no estrangeiro;
  • Para inscrever-se o e-mail deve ter como título “INSCRIÇÃO NA PALESTRA DE SAMURAI”;
  • A palestra deve ocorrer pelo Google Meet.

O consumo do audiovisual japonês foi o centro de debate em live do MidiÁsia, em parceria com a ANBEHCJA-ICBJ

Ontem, 1 de julho, o Grupo de Estudos MidiÁsia da Universidade Federal Fluminense (UFF), em parceria com a Academia Nipo-Brasileira de Estudos da História e Cultura Japonesa do Instituto Cultural Brasil-Japão (ANBEHCJA-ICBJ) realizou a live “O consumo do audiovisual japonês em tempos de pandemia” pelo Facebook do MidiÁsia. A iniciativa contou com a participação das pesquisadores Krystal Urbano, Mayara Araujo e Mateus Nascimento. A live teve o objetivo de divulgar a área de estudos do pop midiático japonês.

Durante o debate foram analisados os animes Akira, Aggretsuko e Dorohedoro, doramas e o cinema japonês. Em específico sobre Akira, os especialistas enfatizaram o caráter distópico e apocalíptico desta produção e destacaram os contrastes na forma de consumo deste anime no anos 1980 com as atuais, que ocorre via Netflix, fazendo referência à ideia de nostalgia.

Sobre Aggretsuko, os debatedores realizaram um vinculo entre o anime e a identificação com o cotidiano. Sobre os filmes, salientaram a associação do cinema japonês com a ideia de um cinema clássico, em razão dos cineastas deste país terem conquistado espaço no ocidente, em especial: Akira Kurosawa e Yasujiro Ozu. Produções atuais como Linking Love (que trata de uma viagem no tempo para os anos 1990 e traz elementos do pop japonês da época como idols da moda e doramas da época) e Tokyo Monogatari (disponível pra ser visto no youtube até semana que vem) foram também, brevemente, analisados pelos pesquisadores.

Sobre doramas, abordaram o consumo das séries japonesas no Brasil que abriu portas para outros países asiáticos com formatos diferentes como a Coreia, que tem um catálogo mais expressivo em plataformas como o Netflix. Tokyo Love Story, segundo os participantes da live, desenvolveu o gênero trendy drama, já as emulações dos outros países asiáticos saíram desse gênero. Por fim, os reality japoneses também tiveram destaque, em especial os produzidos pela Netflix (Real Love, Ainori e Terrace House) que fornecem ideias mais plurais sobre o Japão enquanto nação, para além de um Japão imaginado. Para assistir a live na integra, acesse o link abaixo.

live O audiovisual japonês em tempos de pandemia

O MidiÁsia, em parceria com a Academia de estudos da História e Cultura japonesa do ICBJ, convida para essa live na quarta-feira, aqui na página do MidiÁsia! Nossas pesquisadoras Mayara Araujo e Krystal Urbano vão conversar um pouquinho sobre o consumo do audiovisual japonês durante a pandemia de COVID-19! 🙂 A mediação será realizada por Mateus Nascimento, também pesquisador da casa!Marquem na agenda e venham participar!!

Posted by MidiÁsia on Wednesday, 1 July 2020