Via Koreapost

Apesar da forte oposição de alguns grupos conservadores, o Escritório Metropolitano de Educação de Seul, pela primeira vez na história, estipulou a proteção aos direitos das minorias sexuais no plano de direitos dos estudantes. De acordo com o Regulamento de Direitos Humanos do Estudante Metropolitano de Seul, o plano deverá ser estabelecido e implementado em até três anos.

Sob a visão de garantir os direitos humanos na vida cotidiana nas escolas em Seul, a implementação consistirá em 5 objetivos, 10 orientações e 20 tarefas/obrigações. Ainda, o escritório de educação de Seul protegerá os alunos de minorias, incluindo minorias sexuais, enquanto fortalece a educação sobre direitos humanos. Também será criado, em 11 agências de suporte à educação, um grupo de apoio para alunos com deficiência, com o objetivo de ajudar as instalações estabelecidas para garantir o direito à aprendizagem de alunos deficientes.

Para proteger os alunos de famílias multiculturais, o escritório administrará um centro de apoio à educação multicultural. Será fornecido uma variedade de medidas de apoio, incluindo educação personalizada da língua coreana, consultoria sobre plano de carreira e serviços de consultoria psicológica/emocional.

Crédito: http://yonah.org/

Com relação à proteção de estudantes de minorias sexuais, o escritório apoiará consultas sobre casos de violação de direitos humanos, incluindo discriminação e ódio, enquanto fortalece o monitoramento da igualdade sexual em materiais educacionais. Ainda, para aumentar a conscientização sobre minorias, serão realizados cursos em educação em direitos humanos para alunos e professores, ao mesmo tempo que serão elaborados e distribuídos, guias preventivos contra o preconceito.

Recentemente, alguns grupos cristãos conservadores opuseram-se fortemente ao esboço do plano que inclui a proteção de minorias sexuais e educação para a igualdade sexual. Mesmo assim, o escritório confirmou o plano sem omitir tal conteúdo. Consequentemente, a oposição de tais grupos e as disputas subsequentes provavelmente continuarão a existir.

Minorias sexuais e ativistas falam em uma entrevista coletiva em frente ao prédio da comissão nacional de direitos humanos em seul em 13 de novembro de 2019. Crédito: yonhap

O escritório também tomou medidas para proteger os direitos humanos dos estudantes atletas – será conduzido consultas com os indivíduos regularmente e a punição para incidentes envolvendo violência ou abuso serão endurecidas. Com os direitos de aprendizagem e os tempos de descanso, os alunos atletas terão a garantia de aprimorar suas habilidades acadêmicas básicas.

Além disso, com a idade de voto reduzida para 18 anos, os alunos do último ano do ensino médio agora podem votar. Neste contexto, a educação sobre as eleições também será reforçada e será dado apoio para encorajar os alunos a discutir e debater questões sociais.


0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *