A mesa de debate sobre audiovisual amarelo brasileiro, realizada neste último sábado, 27 de junho, pelo Grupo de Estudos MidiÁsia e o Centro de Estudos Asiáticos da Universidade Federal Fluminense (CEA -UFF), teve como temas de destaque: a representatividade e o eurocentrismo. Participaram do evento Leo Hwan, produtor de conteúdo relacionado ao tema, e Hugo Katsuo, estudante de cinema pela UFF, diretor e idealizador do documentário “O Perigo Amarelo nos dias atuais”. A iniciativa ainda contou com as pesquisadoras do MidiÁsia-UFF Krystal UrbanoDaniela Mazur e o pesquisador do CEA-UFF Mateus Nascimento que foi mediador do evento.

Entre os principais pontos de destaque pode-se salientar: a grande amplitude do conceito de audiovisual amarelo brasileiro que, conforme Leo Hwan, pode ser qualquer produção audiovisual asiática, mesmo em redes sociais, que envolva criação de conteúdo de imagem e som; já para Hugo Katsuo, o termo não tem lugar se não forem discutidos os problemas de representatividade nos espaços do audiovisual brasileiro mais consagrados: televisão e cinema.

Krystal Urbano ainda enfatizou a importância de analisar e refletir o audiovisual amarelo brasileiro para além da grade dos estudos, que é eurocentrista. Por fim, Daniela Mazur afirmou que questionar o eurocentrismo e a experiência produtiva audiovisual amarela no Brasil já é uma forma de promover um novo olhar da pesquisa no Brasil, menos ocidental e com uma visão própria. Para assistir ao debate na íntegra, acesse o link abaixo.

https://www.facebook.com/CEAUFF/videos/617514522456334/

0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *