Havelis: um capítulo charmoso da arquitetura indiana

Via Beco da Índia

Um capítulo charmoso da história arquitetônica da Índia é composto pelos havelis, ou mansões tradicionais erguidas por ricos mercadores. Essas construções existem há vários séculos e são famosas por suas fachadas trabalhadas e exuberantes. Os havelis são construídos de arenito vermelho ou amarelo ricamente trabalhados com padrões complexos. A maioria dos havelis possui grandes varandas, vários andares e salas grandiosas. Eles são construídos em torno de um pátio central para escapar do calor escorchante do verão.

Patwon ki Haveli. Crédito: Wikimedia Commons.

O estado do Rajastão é conhecido por seus magníficos palácios de marajás, mas seus havelis são outro tipo de construção imperdível para os turistas. A bela cidade de Jaisalmer, por exemplo, encrustada no meio do Deserto de Thar, próxima da fronteira da Índia com o Paquistão, possui um famoso conjunto de Havelis : o Patwon Ji ki Haveli, que demorou 50 anos para ser construído.

Paredes pintadas do Patwon ki Haveli em Jaisalmer. Crédito: Wikimedia Commons.

Trata-se de um um conjunto de cinco havelis. O primeiro deles e o mais famoso é o  Kothari’s Patwa Haveli. Foi construído em 1805 por Guman Chand Patwa, um rico comerciante de jóias. Toda a sua família trabalhava com joias e fios de ouro e prata usados em bordados de roupas sofisticadas. Jaisalmer ficava no caminho da famosa Rota da Seda e enriqueceu muito durante o auge dessas antigas caravanas comerciais.

Detalhe do balcão do principal haveli de Jaisalmer. Crédito: Wikimedia Commons.

O comerciante mandou erguer o agrupamento de cinco havelis para seus cinco filhos. O Patwon Ji Ki é conhecido por suas paredes ornamentadas com pinturas e balcões em arenito amarelo trabalhado chamados “jharokhas”. Hoje, os havelis são administrados pelo Departamento de Arte e Artesanato do governo estadual do Rajastão e pelo Instituto de Pesquisa Arqueológica da Índia. O Patwon Ji ki Haveli,  com 60 balcões, foi o primeiro haveli construído em Jaisalmer e o segundo no Rajastão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *