Que artista retrata o cotidiano da classe média indiana?

Via Beco da Índia

Um dos pintores e artistas gráficos indianos mais icônicos do século 20, Lalu Prasad Shaw inspira-se na natureza e na atmosfera que cerca a grande classe média do país. “Arte não precisa ser realista, mas precisa ser absolutamente verdadeira”, diz o pintor Lalu Prasad Shaw, nascido no estado indiano de Bengala Ocidental.

Aos 83, ele destaca-se como um dos artistas mais icônicos da Índia do século 20. Baseado na cidade de Kolkota, Shaw é notável por seu estilo distinto de pintura de retratos. Ele inspira-se principalmente na natureza e no ambiente que cerca a grande classe média bengalesa, muitas vezes retratando cenas agradáveis ​​e tranquilas de sua própria vida, em suas telas e papéis. Ele também experimentou com cenários, misturando visuais da vida rural e urbana da Índia, com estilos  minimalistas a inspirados também no cubismo.

Crédito: Jehangir Nicholson Art Foundation.

Formado em artes aplicadas na Faculdade de Artes de Kolkata, ele ficou conhecido por seus retratos altamente estilizados de mulheres e casais. O artista captura brilhantemente as expressões e os rostos de pessoas comuns com grande economia de traços. Cada pintura de homens, mulheres e crianças carrega em si uma intimidade e são recheadas de nostalgia.

A obra de Shaw é influenciada pelas escolas de arte Kalighate e Mughal, além de pinturas budistas e hinduístas das cavernas de Ajanta (no estado indiano de Maharashtra). Embora descreva-se como um pintor, Shaw começou a gostar de gravura aos 32 anos de idade e dominou o gênero das artes gráficas após ter trabalhado com entalhes e litografias, tornando-se conhecido como um gravador de reputação tão forte que se igualava à que já tinha como pintor. Em suas litogravuras, ele experimenta com imagens bidimensionais, geométricas e não figurativas.

Crédito: Mutualart.

Shaw expôs extensivamente na Índia e no exterior desde 1956. Seus trabalhos foram exibidos em mostras internacionais de prestígio, como a Segunda Bienal Britânica em Londres (1970), as duas Bienais de Gravura Norueguesa (1974 e 1978), a Sétima Bienal de Paris (1971), e a Segunda Bienal de Arte Asiática, em Bangladesh (1984). Seu trabalho faz parte das coleções permanentes de várias instituições, como a Birla Academy, na cidade de Kolkota, e o Art Forum, em Cingapura. Seu filho, Partha, também se estabeleceu como artista em Kolkota.

Espetáculo inédito de dança butô, protagonizado pela performista Emilie Sugai, atravessa a obra de Tomie Ohtake

Via Núcleo Tabi

AKA, trabalho concebido pela performista Emilie Sugai e pelo diretor Lee Taylor, filmado pelo cineasta Joel Pizzini no teatro FAAP, será apresentado em sessões gratuitas online via Sympla de 28 a 31 de janeiro e de 04 a 07 de fevereiro. O espetáculo investiga o universo pictórico e escultórico de Tomie Ohtake (1913-2015), tendo como referência a dança butô, objeto de pesquisa de Emilie Sugai desde 1991, quando integrava a Cia Taman-
duá de Dança Teatro
, sob direção de Takao Kusuno (1945-2001), considerado o introdutor da expressão artística japonesa no Brasil.

A dupla de criadores Emilie Sugai e Lee Taylor, que se conheceu em “Foi Carmen” (2008), de Antunes Filho, retoma com AKA uma parceria iniciada em 2013, quando realizaram o site specific Holoch, no antigo Centro de Cultura Judaica, considerado o melhor espetáculo solo do Prêmio Denilto Gomes, promovido pela Cooperativa Paulista de Dança. O roteiro cênico de AKA, “vermelho” em japonês, inspirou-se na estética das linguagens desenvolvidas pela artista plástica, e é composto de quatro estações: esboços, gravura, pintura e escultura.

Crédito: Núcleo Tabi.

Cada estação possui uma cor predominante que remete às cores mais usadas nos trabalhos de Tomie: o branco, o amarelo, o azul e o vermelho. Emilie Sugai busca corporificar as sensações suscitadas pelas formas do universo da artista plástica. AKA atravessa a arte abstrata de Tomie Ohtake, de modo sensorial, propondo um diálogo interdisciplinar entre as artes plásticas e a dança contemporânea.

O projeto AKA recebeu o Prêmio ProAC da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo para a produção e temporada de espetáculos inéditos de dança no Estado de São Paulo. Devido à pandemia da Covid-19, o espetáculo foi transposto para filme, sob o olhar do cineasta Joel Pizzini, (500 Almas e Zimba), parceiro de criação de Emilie Sugai desde 2003, em obras como o espetáculo Lunaris, a performance Termini e o filme Elogio da Sombra. Este projeto tem apoio da Fundação Japão, Instituto Tomie Ohtake, Santa Luz, Teatro FAAP. Para fazer a sua inscrições e obter outras informações, acesse o Linktree do Núcleo Tabi.

Abrem inscrições para VIII Encontro Nacional de Estudos da Imagem (ENEIMAGEM) e V Encontro Internacional de Estudos da Imagem (EIEIMAGEM)

As inscrições para VIII Encontro Nacional de Estudos da Imagem (ENEIMAGEM) e V Encontro Internacional de Estudos da Imagem (EIEIMAGEM) já estão abertas! O evento ocorrerá entre os dias 10 e 28 de maio, totalmente online. Onde haverá, inclusive, um simpósio denominado “Guerras de Imagens: A cultura oriental e as suas difusões”.

Crédito: divulgação.

A inciativa foi organizada por Richard Gonçalves André da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e José Rodolfo Vieira Universidade Estadual Paulista (UNESP). Inscrições para comunicadores vão até 01 de março, e para os ouvintes até 04 de maio. Para mais informações, acesse o site do evento.

Jin Han Sae, roteirista de “Extracurricular”, anuncia nova série de suspense produzida para Netflix

Via Koreapost

O roteirista Jin Han Sae, conhecido pela série original da Netflix Extracurricular, se juntou a Yoon Shin Ae, CEO da produtora de filmes Studio 329, para produzir uma nova série da Netflix intitulada Glitch. O drama será um thriller de suspense cômico sobre uma garota chamada Hong Ji Hyo, que corajosamente tenta encontrar seu namorado desaparecido e acaba descobrindo segredos misteriosos com a ajuda de integrantes de um clube sobre OVNIS.

Crédito: global geek

O Studio 329 cativou o público geral e os críticos com Extracurricular, um drama de suspense de 10 episódios que foi ao ar em abril de 2020 quando Jin ainda era um escritor estreante. O grande talento de escrita de Jin e seus insights sobre problemas sociais causaram um choque em muitos telespectadores em 2020, ganhando uma boa fanbase. Seus fãs começaram a gerar entusiasmo no mercado de K-drama assim que o anúncio da nova série foi lançado.

Como filho do roteirista de televisão Song Ji-na, Jin pode ter herdado seu talento para contar histórias de sua mãe. Mas foi o CEO Yoon quem o descobriu e lhe deu a chance de compartilhar sua primeira história de longa-metragem com o mundo. Yoon criou várias obras populares, como “Seis dragões voadores”, “Tempo entre cachorro e lobo” e “Imperador do mar”.

Cantor Kisu é o próximo convidado do “Highway meet”

Via Koreapost

Nos dias 19 e 20 de fevereiro, o cantor Kisu, ex integrante do grupo 24K, irá realizar sessões de vídeo chamada com os fãs brasileiros! O cantor, que já mostrou um enorme carinho pelo nosso país e pelo público daqui, será o terceiro artista a participar do “Highway Meet”, organizado pela produtora de eventos Highway Star, responsável por diversos shows no Brasil como BTS, Monsta X, Pentagon, Dreamcatcher, KARD, entre outros. 

Crédito: highway star.

Em 2020, durante a pandemia, a Highway Star tornou acessível para os fãs brasileiros o meet&greet virtual, realizando os encontros via Zoom com o grupo UNVS e a solista Minzy. Então não perca a oportunidade de estar mais perto do seu ídolo enquanto os shows presenciais não voltam! Confira as informações do meet&greet abaixo e garanta seu ingresso!

Data: 19 (sexta-feira) e 20 (sábado) de fevereiro de 2021
Horário: 19h (horário de Brasília)
Classificação: Livre
Plataforma: Zoom via Sympla Streaming
Valores do ingressos:
Um minuto: R$65 (valor único)
Dois minutos: R$115 (valor único)
Três minutos: R$160 (valor único)
Quatro minutos: R$200 (valor único)
Onde comprar (venda exclusiva pela internet):https://www.sympla.com.br/highway-meet-com-kisu—dia-01__1077852
https://www.sympla.com.br/highway-meet-com-kisu—dia-02__1077871

Centro Ásia oferece aulas experimentais online e gratuitas de japonês, coreano e mandarim

De 18 a 23 de janeiro de 2021, o ocorre Open House do Centro Ásia, uma oportunidade para conhecer um pouquinho sobre a instituição, seus cursos e atividades! Assim, serão oferecidas aulas experimentais online (1 hora de duração) de japonês, mandarim e coreano em diferentes horários ao longo da semana, todas no nível iniciante, para o/a participante experimentar a metodologia implementada e tirar algumas dúvidas sobre o aprendizado da língua desejada (ou das três)! Não é necessário conhecimento prévio do idioma e todas as aulas serão gratuitas! As inscrições encerram no dia 17/01.

A aula aberta é uma aula experimental de 1 hora voltada para aquela pessoa que sempre teve curiosidade ou vontade de aprender o idioma, mas que ainda está em dúvida. No dia da aula, será enviando um um link com as informações de acesso à plataforma Zoom. Não serão emitidos certificados. Para mais informações, realizar a sua inscrição, acesse o site do Centro Ásia, ou envie e-mail para: contato@centroasia.com.br

Crédito: Centro Ásia.
Crédito: Centro Ásia.
Crédito: Centro Ásia.
Crédito: Centro Ásia.

Centro Ásia está com inscrições abertas para curso online “Religiosidade e Folclore em ‘A viagem de Chihiro'”

O Centro Ásia irá realizar o curso online “Religiosidade e Folclore em ‘A viagem de Chihiro’” no dia 15 de janeiro, das 19h às 20h30. Segundo informado, a professora Lina Saheki, diretora do centro, vai abordar temas da cultura japonesa através dessas chaves de leitura e de compreensão. Caso não haja possibilidade de comparecimento no dia, a gravação ficará disponível para ser assistida por 5 dias; o e-mail com acesso ao vídeo será enviado aos participantes no dia seguinte ao da palestra. Para realizar a sua inscrição, acesse o site do Centro Ásia.

Crédito: divulgação

NC Curadorias abre inscrições para aula online “Cool Japan e a Televisão Brasileira”

No dia 25 de fevereiro de 2021, a Nélida Capela Curadorias vai oferecer uma aula online com o tema “Cool Japan e a Televisão Brasileira”, das 15h às 18h, a ser ministrada por Mayara Araujo, doutoranda em comunicação pela Universidade Federal Fluminense (PPGCOM-UFF), mestre em comunicação e cultura pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ-2018) e pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisa em Mídia e Cultura Asiática Contemporânea (MidiÁsia-UFF). Na ocasião serão abordados: o conceito de cultura pop; o Cool Japan como estratégia diplomática e de soft power; presenças televisivas da cultura pop japonesa no Brasil; outras televisões: plataformas de streaming e o pop japonês; animês, doramas e reality shows. Para outras informações e realizar a sua inscrição, acesse o site do Sympla.

Crédito: NC Curadorias.

10 filmes e séries mais assistidos na Índia em 2020

Via Beco da Índia

Casamentos arranjados, crimes, amor na Índia do século 21, mulheres rompendo barreiras e entrando nas Forças Armadas. Esses foram alguns dos temas de filmes e seriados da Netflix que mais prenderam a atenção dos indianos em 2020.

O ano em que muita gente ficou em isolamento em casa devido à Pandemia do Novo Coronavírus, os serviços de transmissão de filmes e séries alcançou recordes de audiência. Na Índia não foi diferente. A Netflix India divulgou as obras mais assistidas em 2020 pelos indianos. Aqui vai uma lista de 10 séries e filmes indianos que capturaram a atenção do país.

Indian Matchmaking
Essa série de não ficção, produzida por Smiriti Mundhra, foi um sucesso, mas causou polêmica na mídia por não questionar em nenhum momento, segundo os críticos, os preconceitos arraigados (de casta, características físicas e sobre relações de gênero) da sociedade indiana que emergem com força à superfície quando se trata de casamento. A série mostra, sem alimentar fantasias, como funciona a complexa indústria dos casamentos arranjados na Índia, que são até hoje a modalidade masi comum nas uniões.

O público externo acostumou a ver os glamourosos casamentos indianos em filmes, com  muitas danças, roupas exuberantes e comilança. A série acompanha o trabalha de Sima Taparia, uma arranjadora de casamentos de Mumbai, munida de seus currículos para tentar casar pretendentes indianos, combinando suas personalidades e desejos e também os de suas famílias. 

Veja aqui o trailer, com legendas em inglês

Masaba Masaba
O nome dessa série biográfica refere-se a Masaba Gupta, uma famosa estilista indiana, filha da atriz Neena Gupta, também famosa, e do jogador de críquete jamaicano Vivian Richards. É uma verão ficcional da vida delas na moda e no cinema. As próprias Masaba e Neena atuam na série.

Veja o trailer, com legendas em inglês

She
Bhumika, uma policial indiana do grupo de combate a drogas mergulha no submuno do crime para desbaratar uma gangue. A série foi escrita por Imtiaz Ali e tem como atriz principal Aaditi Pohankar ( no papel de Bhumika),  e os atores Vijay Varma e Kishore.

Veja aqui o trailer da primeira temporada, com legendas em português

Fabulous Lives of Bollywood WivesEssa série de não ficção é uma versão indiana do “Keeping up with the Kardashians”. Quem se interessar por saber o quão fútil pode ser o mundo bollywoodiano, totalmente descocnectado da realidade indiana, pode espiar essa produção, mas não precisa assistir tudo. A série foca nas vidas pessoal e profissional de 4 mulheres,amigas há 20 anos, que tem em comum o fato de serem esposas de atores de Bollywood: Neelam Kothari, Maheep, Kapoor, Bhavna Pandey e Seema Khan.

Veja o trailer, com legendas em inglês

Bad Boy Billionaires
O documentário em vários episódios, conta a vida de 4 magnatas inescrupulosos: Vijay Mallya, Nirav Modi, Subrata Roy e Ramalinga Raju. Eles protagonizaram escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro que renderam manchetes na mídias internacional. 

Veja o trailer aqui

Raat Akeli Hai
A tradução do título seria “A Noite é solitária”. Esse filme, falado em Hindi, é um thriller sobre um policial destacado para investigar o assassinato de um chefe de família. O filme é dirigido por Honey Trehan, com os excelentes atores Nawazuddin Siddiqui e Radhika Apte.

Veja o trailer, com legendas em inglês

Ludo
De um video que revala uma cena de sexo a uma mala de dinheiro , quatro diferentes histórias se cruzam nesse filme que ao mesmo tempo é uma comédia e um policial, com os atores Abhishek Bachchan, Aditya Roy Kapur e Rajkummar Rao, dirigido por Anurag Basu. O nome do filme refere-se ao jogo, que se correlaciona com a vida dos personagens.

Veja o trailer dublado em português

Gunjan Saxena: a menina da guerra de Kargil
O filme dramático mais popular do ano na Índia,  drama mais popular do ano, conta uma história real de uma oficial da Força Aérea da Índia que dirigiu um caça durante uma guerra contra o Paquistão. Gujan Saxena entrou para a Força Aérea em 1994 e dirigiu um helicóptero de guerra durante o conflito. Ela teria sido a primeira mulher indiana a pilotar durante uma guerra.

O trailer de Gujan Saxena pode ser assistido aqui, com legendas em inglês

Miss India
Esse filme, falado na língua Telugu ( do estado indiano de Andhra Pradesh) , dirigido por Narendra Nath, conta a história de Manasa Samyuktha ( atriz Keerthy Suresh), de uma típica família de classe média indiana que sonha em se tornar uma mulher de negócios.

Veja o trailer, com legendas em inglês

Love Aaj Kal
O amor nos dias de hoje. Essa seria a tradução do título desde filme dirigido por Imtiaz Ali. Uma história de amor de uma década passada pode fornecer algum ensinamento para um casal moderno quando os objetivos de carreira os empurram para direções diferentes.

Veja o trailer com legendas em inglês

NC Curadorias realiza I Ciclo de Estudos sobre Epistemologias do Sul com pesquisadora do MidiÁsia

Nos dias 27, 28 e 29 de janeiro de 2021, a Nélida Capela Curadorias vai realizar o I Ciclo de Estudos sobre Epistemologias do Sul, a ser ministrado por Krystal Urbano. Serão aulas online ao vivo, com duração de duas horas, das 18h às 20h.

Partindo da premissa central que “conhecer o Sul desde o Sul” requer tomar consciência da sua imensa diversidade, seja de escala (do local até o global; do coletivo ao individual), geopolítica, de gênero, etnicidade, de identidade, dentre outros, o presente ciclo de estudos pretende discutir acerca dos saberes e as experiências produzidas no Sul Global não-imperial, a fim de contribuir para uma discussão e uma tradução das alternativas emancipatórias ao modelo neoliberal e ao desenho de suas políticas culturais no contexto de um mundo cada vez mais multipolar e descentralizado.

Divulgação: NC Curadorias

Após o pagamento do curso, o link de acesso é enviado no e-mail de confirmação da inscrição – é o mesmo para todos os encontros. Guarde seu e-mail com essa informação. Material parcial das aulas e gravações serão disponibilizadas no Google Drive – alunos terão acesso por link. Serão emitidos certificados. Caso a turma não alcance o número mínimo de participantes, cancelamento será realizado 72 horas antes do evento e reembolso realizado. Inscritos serão informados por e-mail.

Krystal Urbano é doutora (2014-2018) e mestre (2011-2013) em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (PPGCOM|UFF). Jornalista (2002-2006) e Especialista em Epistemologias do Sul (2017-2018) pelo Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO|Argentina). Urbano também é coordenadora adjunta do Grupo de Pesquisa em Mídia e Cultura Asiática Contemporânea da Universidade Federal Fluminense ( MidiÁsia-UFF).

Para realizar a sua inscrição, acesse a plataforma Sympla.